Banner

Quinta, 02 de Outubro de 2014

Banner
Você está em Qualidade de Vida Bem Estar Aprenda a controlar o nervosismo e a ansiedade

Aprenda a controlar o nervosismo e a ansiedade

O psicólogo pode auxiliar na busca de uma solução

 

Emoções à flor da pele Aprenda a controlar o nervosismo e a ansiedade Irritação, ansiedade, nervosismo, tensão em todos os músculos... Quem nunca passou por momentos como esse? O problema é quando essas situações se tornam freqüentes e chegam a atrapalhar o cotidiano de quem sofre destes problemas. Essas doenças, chamadas de psicossomáticas, podem influenciar na saúde do corpo de uma maneira intensa. As tensões e ansiedades, geralmente são a causa de doenças respiratórias, de pele, circulatórias e gastrointestinais. Entre elas estão: cefaléia, gastrites, úlceras, asma, bronquite, dermatite, acne, eczemas e hipertensão arterial. As pessoas podem desenvolver desde uma simples acne até casos de câncer. E o problema tende a se agravar com o tempo. A psicóloga, Flávia Lima, explica que quando a pessoa começa a sentir incomodada com o próprio nervosismo é hora de procurar ajuda. "O indivíduo tende a buscar um especialista só quando está sentindo mal com a situação", diz. Sem fórmulas mágicas A psicóloga Lagmar Passos afirma que não existem fórmulas mágicas para tratar do nervosismo. "Se a pessoa tem Distmia, a doença do mau-humor, é preciso procurar auxílio de um especialista", explica Lagmar. Se não for a doença, o nervosismo pode ser provocado por uma série de fatores. O psicólogo pode auxiliar na busca de uma solução. Lagmar conta que existem técnicas que podem ajudar nos momentos em que a pessoa está passando por uma crise. "Quando ficamos ansiosos o nível de adrenalina no cérebro fica muito elevado, por isso é importante enviar oxigênio para abaixar a quantidade da substância", completa. Portanto, controlar a respiração nos momentos de irritação é muito importante. "Quando dizem para contar até dez antes de falar alguma coisa quer dizer que é preciso respirar para diminuir o nervosismo", afirma Lagmar. Segundo a psicóloga, exercícios como natação, corrida e esportes coletivos ajudam a diminuir a adrenalina. "Técnicas como meditação, yoga ou tai-chi-chuan também são excelentes para controlar o nervosismo", diz. Colocar as emoções para fora A psicóloga Lagmar acredita que quanto menos a pessoa fala sobre seus problemas e angústias, mais ela estará sufocando suas emoções. "Como um copo d`água que vai se enchendo até transbordar, as pessoas também precisam extravasar seus sentimentos antes que cheguem ao limite", explica. Quando isso acontece a pessoa explode repentinamente e, algumas vezes, sem um motivo real. Ana Letícia Sales 12/11/02 Fonte: www.jfservice.com.br