Banner

Quarta, 26 de Novembro de 2014

Banner
Você está em Saúde Saúde da Mulher Desejo sexual hipoativo (frigidez)

Desejo sexual hipoativo (frigidez)

Desejo sexual hipoativo (falta de vontade de fazer sexo, frigidez) O desejo de fazer sexo pode ser tomado por muitos

 

 

Desejo sexual hipoativo (falta de vontade de fazer sexo, frigidez) O desejo de fazer sexo pode ser tomado por muitos como algo totalmente irracional e instintivo. Pessoas que aparentemente não sentem vontade de fazer sexo se perguntam: por que eu não sinto vontade? Será que sou anormal? Quando a vontade vai aparecer? Isso é fruto do pensamento que o sexo é igual para todos e isso não é verdade. Somos animais superiores na escala evolutiva. Realmente, a vontade é algo que aparece instintivamente (coordenada pelas variações hormonais, idade e etc), porém, nossas emoções podem regular sua exteriorização.

 

Fazer sexo é algo modulado por nossa sexualidade, ou seja, o desejo instintivo de se relacionar intimamente com outra pessoa passa pelo crivo de cada indivíduo, sendo este formado por princípios morais, sociais, educacionais e religiosos que começam a interferir na atitude da pessoa. Tal força moduladora é tão presente que a vontade irracional instintiva pode ser bloqueada em local inconsciente, nunca atingindo o consciente. Essas pessoas sentem desejo, porém não sabem e isso gera sintomas (depressão, angústia, ansiedade entre outros). Comumente os pacientes procuram um médico na esperança de obter um diagnóstico preciso de seu problema. O desequilíbrio hormonal é a principal “saída” que os pacientes querem ouvir. Essa seria uma maneira de “resolver” um problema usando o diagnóstico como consolo; “afinal não é culpa minha, é do meu corpo”. Infelizmente os distúrbios hormonais constituem a menor parte desse problema e muitas vezes é conseqüência dele. A novidade é que as pessoas têm de tomar consciência que são corpo e mente e que o médico é um facilitador no processo terapêutico.

A participação do paciente é o principal para sua melhora, pois não dá para “terceirizar” o tratamento, tem que participar. Dr. Edyane refere que o desejo sexual hipoativo (frigidez), é muito mais incidente na mulher. Elas fogem das situações em que o sexo é provável, evitam demonstrar sua sensualidade atingindo sobrepeso, não cuidando de sua aparência, inventam dores e desentendimentos angustiantes do cotidiano para postergar uma situação erótica. Isso é altamente explicável pela maneira repressora que são criadas. Para a grande maioria sexo sempre foi proibido desde de criança. Não houve uma educação sexual a favor do conhecimento do seu corpo, do corpo do parceiro e aprendizado de como tudo isso poderia lhe proporcionar prazer. A mulher tem desejo, porém reprimido. www.sexualidadeevida.com.br