Banner

Sábado, 20 de Dezembro de 2014

Banner
Você está em Saúde Saúde da Mulher Sem vontade de transar

Sem vontade de transar

Será que há pessoas que não têm mesmo a menor vontade de fazer sexo?

 

Isso é normal? É algo físico ou tem mais a ver com questões emocionais? E o que fazer quando você se vê num relacionamento fixo com alguém que é assim?
Para entender melhor tudo isso é importante olhar para o cenário em que vivemos. É um momento em que se fala muito sobre sexo: na mídia, em casa, na escola, em diversos lugares. No entanto, o assunto é pouco conversado entre os casais. E ainda é tema tabu, carregado de preconceitos e ideias equivocadas. 
Um exemplo disso é o simples fato de a gente duvidar da possibilidade de alguém não gostar de sexo, ou não sentir vontade de fazer. Mas isso é natural e pode fazer parte da vida de qualquer pessoa.

Claro que existem questões físicas e emocionais em jogo. Por exemplo, é possível que os hormônios estejam numa fase de alterações, o que pode causar baixa de libido.

Quanto às causas emocionais, a lista é infindável: não se sentir à vontade com o próprio corpo nem conhecer seus mecanismos de prazer; viver um momento de grandes preocupações com o trabalho, as finanças, a saúde, a família, os filhos ou qualquer setor; sentir-se em meio a conflitos variados, tanto consigo quanto com a pessoa com quem divide a cama, entre outros. Tudo isso pode afetar o desejo.

No entanto, há quem simplesmente não goste de sexo. E ponto. Não se trata de uma fase ou um momento de vida. É algo mais profundo e duradouro. Uma questão de gosto. E daí? Não somos exatamente assim com a vida como um todo? Gostamos de algumas coisas, de outras não. Por que é que com o sexo seria diferente?
A gente tem o direito de se interessar ou não pelo que quiser. Até aqui, tudo bem. Mas isso nos remete à difícil questão: e faz o quê quem está ao lado de uma pessoa que não tem interesse em sexo?

A situação se torna bem complexa nesse ponto. Afinal, assim como um tem o direito de não gostar de sexo e não querer fazer, o outro também tem todo o direito de desejar e querer, sim, transar.

Como é que esse casal ajusta os ponteiros? A primeira ideia é tentar negociar esse prazer. É importante que ambos se perguntem: que acordo dá para fazer para que se mantenham satisfeitos juntos? Mas há também a dolorida questão: será que dá para chegar a esse acordo?

Em alguns casos, não dá. E aí cabe a cada um decidir o que quer e quais são as prioridades da sua vida e das relações nas quais se envolveu. A decisão não é fácil, eu sei. Vale lembrar que não há regras nem respostas prontas. Cada pessoa terá de responsabilizar-se por sua vida e tomar as rédeas do que deseja para si. Assim, certamente será mais saudável e, com o tempo, se revelará mais prazeroso.

 

Leia Mais...

Laura Müller

http://www.diaadiarevista.com.br/News/13/6034/sem-vontade-de-transar.aspx